1 de mai de 2011

O peso do mundo em suas mãos? Não! em suas costas

Você vai sair para uma viagem amanhã e tem que levar sua roupa, sua comida, sua água, sua cozinha, sua cama, e até... sua casa! Ah! Mais um detalhe, você deverá levar tudo isso em suas costas.

Portanto você está precisando de uma mochila. Aquele enorme tubo colorido lotado dessas coisas, pendurado em suas costas e preso à sua cintura, estará diretamente relacionado com seu conforto e performance em trilhas, caminhadas ou qualquer atividade ao ar livre.

Os projetos atuais de mochilas levam em conta o conceito de otimização da distribuição da carga, já que a estrutura pélvica, e especialmente o osso ilíaco, é o local ideal para suportar esse peso.

Algumas características tais como: costas com sistema de ventilação (não retém suor), além das fitas de ajuste peitoral regulável, devem estar presentes em todos os modelos. Funções mais específicas como, por exemplo, os compartimentos para sistema de hidratação, dependerão da aplicação desejada.

Dessa forma, precisamos definir qual é a sua necessidade, avaliando tamanho, conforto, resistência dos materiais empregados, amortecimento das cargas, qualidade e funcionalidade. Lembrando que quanto maior a mochila, mais sofisticada ela será, podemos então classificá-las:

1) Alças, proteções das costas e barrigueiras feitas em espuma ou material acolchoado, recobertos por um tecido que absorve o suor, secando rapidamente ao sol.
2) Sistema de ajuste de ombros, pré-moldados com fita de ajuste peitoral regulável.
3) Barrigueiras amplas, com diversos ajustes, privilegiando a ergonomia e conforto.
4) Fivelas e alças feitas em Nylon. Bem mais resistentes que as de plástico comuns.
5) Abertura frontal que acessa a parte inferior da mochila, com divisão interna, permitindo retirar a barraca ou saco de dormir sem mover o resto da carga.
6) Fitas laterais de compressão e compactação da carga, tornando-a mais rígida e estável.
7) Tampo superior removível ou módulos destacáveis que se transformam em pochetes ou pequenas mochilas.
7) Tampo superior removível ou módulos destacáveis que se transformam em pochetes ou pequenas mochilas.

Mochilas de Ataque - Pequenas (20 a 30 litros)
São mochilas compactas, leves e versáteis. Indicadas para saídas de um dia, escaladas, ataques a cumes, corridas de aventura ou viagens curtas. Totalmente compatíveis para capacetes ou roupas úmidas e ainda as fitas reflexivas noturnas. Pesam de 0,5kg at'[e 1,0kg.

Mochilas Semi-Cargueiras - Médias (35 a 60 litros)
Adequadas para saídas em torno de uma semana, esta categoria de mochilas já deve incorporar as tampas superiores conversíveis, bem como os acessos frontais, que dão grande agilidade em uso. Pesando entre 1,0kg e 2,0kg devem contar com a estrutura dorsal removível e alças de ombro acolchoadas com amplo sistema de ajuste.

Mochilas Cargueiras - Grandes (65 a 90 litros)
Desenhadas para excursões longas, incorporam o conceito de compartimentos estanques (ex. para o saco de dormir) com painéis divisores removíveis, fitas laterais de compressão em diagonal, além de suporte para bastões, piquetas e porta isolante térmico desmontável. Por terem estruturas mais complexas variam de 2,0kg e 3,5kg.

- Principais fabricantes nacionais:
Curtlo, Mont Blanc, Náutica, Mono, Trilhas e Rumos.

- Principais fabricantes estrangeiros (no Brasil): Kailash, Ferrino, Lowe Alpine, Kelty, La Fuma, Camp, Vaude, Wollner, Gregory, Arcteryx.
1) Zíperes grandes e reforçados, com olhais do tamanho suficiente para prender cadeados.

2) Redes, bolsos ou fitas externas que permitem fixar um grande número de itens no lado de fora, economizando espaço interno com praticidade.

3) Bolsos internos e compartimentos independentes, úteis para organizar e separar a carga.

- Teste de Equipamento:

Produto Avaliado: Mochila Cargueira Modelo: Kailash Creator 65 Capacidade: 65 litros Peso: 2100 gramas

Produto Avaliado:
Mochila Cargueira

Modelo:
Kailash Creator 65

Capacidade:
65 litros Peso: 2100 gramas

Construção:
Mochila multifuncional para ambos os sexos. Frame principal duplo em "U" feito em alumínio destacável. Sistema de compactação nas laterais por fitas em "Z". Costado e alças acolchoadas em espuma 3D ar-permeável (LAP) Nylon Ripstop 420D no corpo principal e cordura 1000D na base, impermeáveis.

Condições do teste:
usada continuamente durante o mês de maio de 2001, em percursos médios e longos com carga de 10 kg e posteriormente com carga 20kg. Teste realizado em trechos de asfalto bem como em ambientes de serra, trilhas em mata fechada com aclives e declives.

Ajustes:
permitiu todos os ajustes necessários rápida e facilmente apresentando ainda campo de ajuste para mais e menos (exceto na fita de ajuste peitoral). Alças bem ajustáveis pelo próprio usuário, mesmo com a mochila nas costas.

Conforto e Estabilidade: o conjunto costado/barrigueira, com seu desenho anatômico ACS (Adjustable Chest and Shoulder), mostrou-se bastante eficiente, inclusive no quesito ventilação das costas. Ele foi bastante exigido nas descidas com zingue-zangue em ritmo acelerado, onde a mochila esteve sempre estável.

Inovação:
o sistema de barrigueira destacável e reversível, permite dois posicionamentos ajustáveis ao corpo do homem ou da mulher.

Design e Preço:
formato estreito, agradável esteticamente nas cores preta e azul contando ainda com laranja (Creator 55) e verde (Creator 75). Média de mercado: R$ 230 a R$ 250.

- Dicas e cuidados !

!Ao escolher um modelo, veja se ela "veste" bem em você. Aprenda a regular as fivelas em duas etapas: com a mochila fora do corpo, para melhor compressão da carga, bem como após a colocação nas costas, para uma perfeita adequação ao formato do seu corpo e conseqüentemente melhor distribuição do esforço nas extremidades inferiores.

! Observe se as fitas de compressão permanecem bem fixas após o ajuste. Fivelas plásticas que afrouxam ao caminhar tornam-se um problema grave, principalmente em mochilas cargueiras e trilhas longas.

! Sempre verifique, antes de comprar e ao longo das inspeções de rotina do seu equipamento, se as costuras estão alinhadas, intactas e longe das bordas dos cortes, mantendo a impermeabilização da mochila. Lembre-se que grande parte da água que vai entrar nela usará uma costura aberta ou mal feita, como porta de entrada.

! Ao organizar sua carga na mochila, sempre posicione elementos mais pesados em baixo e não deixe que a altura superior ultrapasse a sua cabeça, restringindo movimentos e trazendo instabilidade.


Para saber mais acesse: www.guiavertical.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário