10 de abr de 2011

Trabalho em Espaços Confinados

          Os trabalhos em espaços confinados, por envolverem uma série de riscos, requer um cuidadoso planejamento, e na eventualidade de uma emergência, todo o equipamento e pessoas envolvidas deverão estar devidamente posicionados e preparados.
           Um treinamento adequado a todos os participantes, é um requisito indispensável, inclusive em primeiros socorros e ressucitação cardiopulmonar.
            As estatísticas apontam que 60% dos casos de óbitos em acidentes em confinados, são de resgatistas mal preparados.
            Os requisitos mínimos, para execução de trabalhos em confinados poderão ser encontrados na NR-18, em 18.20 - Locais Confinados.
            Em uma operação em confinados, independentemente da monitoração da atmosfera e proteção respiratória, uma das primeiras providencias é localizar ou posicionar pontos de ancoragem para fixação de cordas que auxiliarão a descida do trabalhador e a sua remoção, após a execução dos trabalhos ou na eventualidade de um resgate. Para que isto ocorra de maneira fluente, o trabalhador deverá ingressar no confinado utilizando um cinto de segurança específico para trabalhos em confinados, e devidamente conectado a corda.
            Este cinto tem como característica, a ausência de alças auxiliares ou salientes que poderiam se prender no interior do confinado, dificultando assim a movimentação do trabalhador, outro detalhe importante, é o ponto de fixação da corda que deverá estar posicionado , nas costas, o mais alto possível ou acima da cabeça do trabalhador, para que o mesmo possa ser suspenso, o mais próximo possível, da vertical.
            Considerando-se o esforço necessário para a remoção do trabalhdor, do confinado, um sistema de polias deverá estar devidamente montado e posicionado.




Para saber mais acesse: www.guiavertical.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário