25 de abr de 2011

Cordas

As cordas fazem parte do montanhismo desde que o homem aprendeu a fazê-las. Assim vamos falar, só um pouco, sobre as cordas.
Não faço a menor idéia de quando ou onde surgiram as cordas. Imagino que já tenham sido feitas com as mais diferentes fibras, algodão, lã, sisal, juta... Hoje ainda é muito comum aquela corda áspera, usada na construção civil e pelos nossos camponeses: a corda de Sisal. O fato é que as cordas começaram a ser aperfeiçoada só a mais ou menos 50 anos atrás, quando surgiram as fibras derivadas do petróleo. Rapidamente os especialistas focalizaram a atenção num polímero, agora muito comum a nós, o Nylon, capaz de ser reunido em cordas resistentes e maleáveis com seus filamentos longos e contínuos. Além disso, tem resistência à abrasão; excelente capacidade de absorção de choques e ponto de fusão relativamente alto. Mais tarde, outras fibras vieram, como polipropileno, Kevlar e Dracon ou Poliéster. O "Perlon" nada mais é que o nome fantasia para o Nylon tipo 6. De qualquer forma, o Nylon continuou na preferência.
Um tremendo quebra-galho é a corda. Mas, se for usada a corda errada é uma armadilha fatal. Jamais use, para suportar uma pessoa, cordas de sisal (às vezes também chamada de "corda de bacalhau"), de polipropileno (as de caminhoneiros) ou cordas de seda de náilon (aquelas das lojas de material de pesca ou náutico). Vá a uma loja especializada e peça uma corda apropiada para a atividade que for fazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário