23 de mai de 2011

Comunicação em Canyoning

Devido aos obstáculos e ao ruído provocado pela água a comunicação oral por vezes é difícil, pelo que é necessário recorrer-se a outras formas de comunicação mais simples, das quais se destacam:
Comunicação com sinais sonoros (recorrendo a um apito)

Linguagem gestual apresenta grande importância no canyoning
Para além destes tipos de comunicação é aconselhável levar um telemóvel resguardado no tanque estanque, que pode ser bastante útil em caso de acidente. Mesmo que no canhão não exista rede, pode facilitar a comunicação em partes mais altas. Em determinados locais pode igualmente ser útil recorrer-se a rádios transportados em sacos estanques.

1 - Os sinais sonoros embora limitados, são a comunicação mais utilizada em canyoning sempre que a comunicação normal é difícil. Em relação à comunicação com gestos, apresenta a vantagem de poder ser utilizada mesmo que não haja contacto visual entre as pessoas.

Desta forma um apito é um instrumento indispensável que todos os praticantes de canyoning devem levar em local acessível. Para além dos sinais convencionais em baixo apresentados, os praticantes podem combinar outras combinações para aumentar o expectro da linguagem.

Um apito = Stop, fim da manobra, parar de dar corda


Dois apitos = Livre, corda livre para outra pessoa começar a fazer rapel

Três apitos = Dar corda, corda curta ou dar corda porque companheiro está bloqueador


Sequência de 3 apitos curtos + 3 longos + 3 curtos = Help, Necessito de ajuda, perigo (código morse)


2 - O código gestual que aqui se apresenta foi elaborado pelo guia Dominique Stumpert e adaptado do livro "Manual de descenso de barrancos" da Escola Aragonesa de Montanhismo.

Através da utilização destes gestos simples e fáceis de memorizar será possível comunicar durante uma actividade de canyoning, isto se manter o contacto visual.

Embora possa parecer um preciosismo muitas vezes desnecessário, especialmente em canyonings com pouco caudal, noutras situação a comunicação gestual pode ser fundamental para evitar acidentes.


 
Sim - Tudo Bem
Punho fechado com polegar levantado
Autossegura-te
Punho fechado e movimento semi-circulatório de cima para o anel do arnês
Não
Movimento de limpa para-brisas com mão fechada e indicador levantado
Dar corda
Num rapel extensível, passar a descer o companheiro
Grandes movimentos circulares com um braço
Socorro - SOS
De pé com braços estendidos e abertos.
Utilizar a corda
Dois punhos fechados um em cima do outro.
Corda - dois punhos um ao lado do outro
Stop
Braços cruzados em cima com as mão abertas.Não avançar é necessário reconhecer primeiro
Recuperar corda
Movimento de hélice com braço para cima, um punho serrado e indicador levantado
Stop
Outra forma de dizer para parar. Braço levantado com palma da mão virada para os companheiros
Dar corda
Movimento de hélice com braço para baixo, um punho serrado e indicador levantado
Chamar a atenção
Braço levantado e separado do corpo, com a mão a abrir e fechar interruptamente
Cortar a corda
Mão a realizar movimentos de serra sobre a palma da mão aberta e virada para cima
Pode saltar
Uma mão faz o sinal de OK e a outra indica o local
Obstáculo na água
As duas mãos formam um telhado pontiagudo. Não saltar ou indicar local para onde não se deve saltar
Profundidade da água
A partir de 2 metros indicar o nº de metros com os dedos das mãos
Perigo aquático
Golpear com a palma da mão na superfície da água. Indicar alguma dificuldade como corrente forte
Rápido
Antebraço para baixo, punho fechado e com movimentos laterais
Nadar
Imitar movimento de natação com os braços
Direcção horizontal
Braço horizontal com palma da mão aberta.
Direção Vertical
Punho fechado com indicador estendido. Realizar movimentos com o braço para acentuar a direção.

Para saber mais acesse: www.guiavertical.com

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário